Refrigerantes e tireoide: entenda a relação

Alimentos industrializados, processos e repletos de conservantes e açúcares, a exemplo dos refrigerantes, são vilões de uma vida saudável. Isso já não é segredo para ninguém. Desta forma, nós vamos explorar a relação entre os refrigerantes e tireoide no artigo desta semana.

Para que se possa entender a relação entre refrigerantes e tireoide é necessário olhar para outros aspectos ligados a esse tipo de bebida.

Por este motivo, vamos explorar um estudo muito recente realizado pela equipe da revista JAMA Internal Medicine que constatou pontos importantes sobre a ação dos refrigerantes na saúde do corpo humano, fazendo-nos pensar na sua relação com a tireoide.

Os refrigerantes estão associados a causas de morte em várias pessoas.

Se este é um assunto que o interessa, leia o artigo até o final para descobrir como refrigerantes e tireoide se associam e de que forma você pode substituí-lo por bebidas mais saudáveis.

Vamos lá?

Refrigerantes e tireoide sob o olhar de um importante estudo

A equipe da revista JAMA fez um estudo e constatou que o consumo de refrigerantes faz muito mal a saúde. Ou seja, confirmaram algo que já vem sendo propagado a bastante tempo.

O consumo regular de refrigerantes foi associado a um risco maior em diversas causas de mortes, de acordo com a pesquisa.

Os participantes que ingeriram 2 ou mais copos de refrigerantes por dia, apresentaram maior risco de mortalidade do que aqueles que consumiram menos de um copo por mês. 

Perceba a diferença.

Além disso, o estudo concluiu que as pessoas do primeiro grupo, ao consumir refrigerantes adoçados artificialmente (adoçantes) estavam inclinadas a causa de morte por doenças circulatórias. 

Enquanto que indivíduos que consomem 2 ou mais copos de refrigerantes por dia adoçados com açúcar, estão propensos a causas de morte relacionadas ao sistema digestivo, fígado, apêndice, pâncreas e intestino.

Para saber mais sobre a pesquisa, ouça o Dr. Tireoide.

Em resumo, você precisa saber que o consumo exagerado de açúcar, a exemplo da quantidade que contém nos refrigerantes, piora as funções da insulina no organismo, podendo causar uma resistência à insulina, o que é extremamente prejudicial a saúde como um todo.

Leia também: Consumo de açúcar e tireoide: entenda por que é prejudicial

Impactos do refrigerante na saúde

Uma outra pesquisa descontou os danos causados por hábitos poucos saudáveis, como fumar e cultivar uma alimentação baseada em fast food, ao analisar o consumo de refrigerantes. E mesmo isolando esses casos identificou-se as propensões de causas de mortes citadas acima, por conta da ingestão da bebida açucarada.

Isso nos faz perceber que os impactos negativos dos refrigerantes sobre a saúde são visíveis e graves.

As bebidas açucaradas são a maior fonte de açúcar, adicionada nas dieta dos indivíduos. Com isso, se percebe um aumento da população obesa ao longo dos anos. 

E surge um cabo de guerra entre os pesquisadores e as indústrias sobre o equilíbrio na oferta e composição das bebidas açucaradas e da conscientização para o consumo das mesmas.

Doenças relacionadas

Além disso, o consumo desmedido de refrigerantes também pode causar patologias como:

Pedra nos rins: a acidez dos refrigerantes faz com que a demanda de cálcio aumente para facilitar a digestão e controlar o Ph do corpo. Com isso, uma grande quantidade de cálcio passa a ser expelida pelos rins, aumentando a incidência de pedras devido ao acúmulo de substância no seu interior.

Enfraquecimento dos ossos e dentes: esse é um problema que também está relacionado ao cálcio, só que agora na dificuldade de absorção pelo organismo devido ao ácido fosfórico presente nos refrigerantes. Sem cálcio suficiente enfraquece-se os ossos e dentes.

Diabetes: o açúcar é um ingrediente bastante presente nos refrigerantes e o consumo exagerado deste alimento diminui a ação da insulina, responsável por manter nosso corpo ativo e saudável.

Aumento da pressão arterial: a quantidade de sódio e de cafeína presente nos refrigerantes leva a um aumento gradativo da pressão arterial em indivíduos que consomem a bebida diariamente.

Deficiência de nutrientes: a má absorção de nutrientes, decorrente do consumo de refrigerantes, desencadeia uma série de outras doenças. O ácido fosfórico é o principal vilão, pois ele dificulta a produção do ácido gástrico responsável pela boa digestão dos alimentos.

Poderíamos citar outras doenças ligadas ao consumo de refrigerantes, a exemplo do câncer, mas vamos nos ater a essas para enfatizar os danos causados pela bebida à saúde humana.

Como substituir o refrigerante

Um dos ingredientes mais preocupantes na composição do refrigerante é o açúcar, sendo ele artificial ou não. A quantidade de açúcar presente na bebida a torna ainda mais doentia e incompatível com um estilo de vida saudável.

Sendo assim, a recomendação é de que você não tome refrigerantes e procure evitar, também, os diets.

Busque utilizar outros tipos de bebidas como:

  • Bebidas sem açúcar e sem adoçantes artificiais;
  • Água de coco pura e saudável;
  • Sucos naturais com baixo índice glicêmico, como suco verde;
  • Água com limão.
  • Água pura.

Refrigerantes e tireoide não combinam

O consumo de refrigerantes é um marcador para identificar estilos de vida pouco saudáveis.

O estudo feito pela JAMA é bastante considerável e sério. Ele foi realizado com mais de 451 mil pessoas de diferentes países, ou seja, sua relevância sobre o consumo de refrigerantes deve ser considerada.

Sabendo de todas essas informações, cabe a você decidir o que fazer para alcançar um estilo de vida saudável e perene, preservando a sua tireoide.

A escolha sempre será sua. Ainda que lhes ofereçam diversos produtos com promessas de serem “mais naturais”, avalie os pontos prós e contras.

Você também pode gostar de ler: Alimentos que danificam a tireoide: saiba por que evitar

Dr. Eudes Taralo

Fascinado por ciência e pela compreensão do ser humano sob uma perspectiva integrada e global, o Doutor Eudes Tarallo nunca se conformou plenamente com a grande maioria das respostas oferecidas pela medicina ocidental comum.

Tudo que você precisa saber sobre hipo & hiper tireoidismo