Ioga para tireoide: você sabia?
  • Post author:
  • Post category:Tireoide

É muito possível que essas sejam informações novas para você, mas é possível sim tratar sua tireoide fazendo ioga. Acha isso curioso?

Mas sim, a prática de yoga pode ajudar você que tem hipotireoidismo! Neste artigo, te mostrarei 6 posições que te fazer muito bem e melhorar sua qualidade de vida!

Bom, você já deve saber como disfunções na tireoide podem acabar com sua energia, aumentar seu ganho de peso, danificar sua pele, te dar mais sensibilidade ao frio e te trazer outros problemas que causam estresse ao seu corpo.

Além de um tratamento adequado e alimentação balanceada, o yoga é também é uma ótima alternativa para compensar o desequilíbrio causado pelas disfunções na tireoide.

Mas doutor, mas por que yoga?

O yoga atua fortalecendo sua musculatura, reforçando sua postura, melhorando a circulação e oxigenação e assim, revigorando todo seu corpo. Ah, e é uma ótima desculpa para você parar tudo o que está fazendo para relaxar e ter um tempo consigo mesma(o)!

Para iniciar a prática você pode começar com essas 6 posições:

Postura da Ponte

A melhor forma de fazer a postura é elevar o quadril, com os braços repousados na lateral do tapete, joelhos alinhados com calcanhares e, dedos dos pés para frente e calcanhar para trás.

Evite colocar a parte de trás dos braços no tapete, mantenha joelhos sempre alinhados com os calcanhares, assim como deve cuidar para que os dedos dos pés não apontem para fora e o calcanhar para dentro. Alinhamento é essencial.

Postura da vela

Deite de costas, una as pernas e eleve-as sem impulso, juntas e estendidas, enquanto inspira fundo.

Caso tenha dificuldades de fazer isso, dobre as pernas em direção ao peito e eleve-as quando os joelhos estiverem por cima da linha do rosto.

Vá elevando o tronco aos poucos, vértebra por vértebra. Ao fazer esta parte do movimento de elevação, espire. Segure o peso das pernas e o tronco com as mãos apoiadas nas costas, na altura das costelas. Mantenha os braços paralelos um ao outro.

Tanto o movimento de subida, quanto o de descida devem ser feitos com calma e lentamente.


Postura do peixe

Banner Convite Curso A Chave Mestra da Saúde

Deite de costas, mantenha as pernas estendidas. Inspirando, eleve o peito e apoie a parte de trás da cabeça no solo, formando um arco com o tronco.

Os braços podem ficar repousados ao lado do corpo com as mãos sob o quadril para compensar qualquer possível desconforto, sempre com as palmas viradas para baixo.

Essa é uma posição que também deve ser trabalhada aos poucos para não forçar demais a extensão da parte superior do corpo e cuidando também para que não seja depositado qualquer peso sobre a cabeça ou que ela não arraste no tapete de yoga.



Postura de inversão sobre os ombros

Comece deitando de costas com os joelhos dobrados, os pés apoiados no chão, e os braços ao lado do corpo.

Em seguida, solte os joelhos e faça força com os braços no chão para elevar os pés em direção ao teto. Respire nessa etapa.

Lentamente, deixe seus pés caírem para trás até onde for confortável para o seu pescoço e depois junte as mãos atrás de você no chão, encaixando os ombros por debaixo.

Apoie-se firmemente com os braços no solo e alongue-se até os tornozelos. Respire profundamente pelo menos três vezes nessa posição.

Postura de pernas na parede

Essa é a mais simples.

Sentando” de ao lado de uma parede, gire as pernas até encostá-las estendidas na parede, mantendo o tronco no chão. Comprima as escápulas e deixe os braços relaxados ao lado do corpo ou sobre o abdômen.

Segure um tempo, enquanto faz suas respirações profundas.

Pose da cobra

Deite de barriga para baixo, com os dedos dos pés apontados para trás, braços flexionados com palmas das mãos na linha dos ombros, cotovelos perto do corpo e a testa suavemente apoiada no solo.

Em seguida, levante a cabeça e comece a esticar os braços aos poucos para tirar o peito do chão, apontando o queixo para cima e inspirando.

Jogue aos poucos os ombros para longe das orelhas, como se fosse  juntar as escápulas uma com a outra.

Mantenha as mãos empurrando para frente e para o chão, da mesma forma que vai  fazer com o quadril em direção ao chão. 

Alongue o pescoço e aponte as costelas para frente para fazer uma leve extensão que poderá ser intensificada à medida que sua prática subir de nível.

4 vezes por semana é uma ótima frequência para você praticar essas poses. Mas calma, se você for super iniciante, pode escolher apenas 3 delas para aplicar nesses dias até se acostumar e ir acrescentando as demais.

O ideal é que em cada posição que permanecer, você conte de 5 á 10 respirações profundas e que saia das posições lentamente para pegar leve com seu corpo.

Hoje em dia, há muitos vídeos na internet que podem te ajudar a chegar à melhor forma em cada posição, mas se tiver contato com algum profissional da área ou tiver um amigo praticamente de ioga para te ajudar, melhor.

Algumas posições podem ser delicadas para pessoas com algum problema de coluna, então se for o seu caso, consulte um especialista ou seu médico antes de iniciar a prática.

Mas eu te garanto, fazendo direitinho e respeitando sua habilidade e seu corpo, você vai ter uma melhora incrível e vai gostar de desenvolver essa cultura tão benéfica ao cuidado físico e mental.

Espero mais uma vez ter ajudado e quero saber se você está bem.

Mantenha contato comigo lá no insta @doutortireoide e sinta-se à vontade para deixar dúvidas ou me sugerir temas para novos posts.